EDITAL DE CONSULTORIA – UNODC

O UNODC acaba de abrir um edital para a contratação de uma consultoria para realizar o levantamento, sistematização e análise de casos de tráfico de pessoas e contrabando de migrantes atendidos pela Defensoria Pública da União (DPU).

Ver Link: https://www.unodc.org/lpo-brazil/pt/vacancies/2018/02/contratao-de-consultor.html

Interessadas(os) devem enviar a documentação exigida para o endereço de e-mail recrutamento@unodc.org, com o assunto “Consultoria UNODC/DPU” até o dia 17 de março de 2018

Anúncios

Convite

Nos meses de julho e agosto estaremos recebendo Cairo Mendes e Maria Mendes, integrantes do Student Immigrant Movement (SIM), que falarão sobre o trabalho por eles desenvolvido na defesa dos estudantes imigrantes em Massachusetts. Confira o cronograma de atividades:

 

Cronograma

Convite para a próxima reunião

cropped-cropped-logolaemi1.png

Estimadxs colegas do LAEMI,

No dia 3 de junho (sexta-feira), ao meio-dia, faremos nosso próximo encontro do LAEMI.  O local será a Sala do térreo do CEPPAC.

Nessa oportunidade contaremos com a presença das pesquisadoras Sabine Gorovitz e Susana Martínez Martínez que apresentarão a pesquisa em andamento intitulada:

Migrações, fronteiras e igualdade de gênero: a integração linguística como garantia dos direitos humanos.

Descrição:

O projeto insere-se no grupo de pesquisa MOBILANG do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução da Universidade de Brasília, que tem como foco as situações de mobilidade e contatos de línguas. Um de seus objetivos centrais é o de apreender os processos de integração linguística dos falantes e de distinguir perfis sociolinguísticos de famílias em situação de mobilidade. Para tanto, desenvolvemos uma abordagem metodológica baseada na observação de campo. Trata-se assim de descrever as situações de interação vivenciadas pelos falantes a partir de suas produções, caracterizadas por fenômenos de misturas linguísticas ou a possível ausência delas em alguns falantes.

 

Baseado nessas premissas, o projeto “Migrações, fronteiras e igualdade de gênero” buscará acompanhar os imigrantes em sua relação com as diversas instituições envolvidas no processo de acolhida e integração dessas famílias oriundas de localidades diversas, relação esta mediada por intérpretes comunitários. Assim, o objetivo de longo prazo é contribuir com a implementação de políticas de acessibilidade linguística capazes de garantir o exercício dos direitos da população imigrante.

 

Resumo:

O projeto abarca ao mesmo tempo pesquisa e extensão e visa prover um apoio linguístico à população imigrante oriunda de diversas localidades, que chega ao Distrito Federal, um dos principais obstáculos encontrados nos primeiros contatos com as entidades de assistência sendo linguístico.

O projeto visa implementar um sistema de comunicação linguisticamente inclusivo, capaz de integrar a população imigrante e refugiada aos sistemas de prestação de serviços públicos nas áreas de saúde, trabalho, Centros de Referência de Assistência Social, Comitê Nacional para os Refugiados, Polícia Federal, e Instituto de Migrações e Direitos Humanos, entre outros, contribuindo assim para a efetivação do exercício dos diretos humanos dessa população.

A pesquisa também sugere um recorte de gênero. Muitos dos países de origem da população migrante são multilíngues e apresentam situações de diglossia. Assim, entendemos que as mulheres, confinadas pelos seus papeis de gênero aos espaços privados, têm voz somente em situações consideradas mais informais e de menor prestígio. Acostumadas a não interagir com as autoridades e instituições administrativas, elas encontram-se em uma situação de maior vulnerabilidade no país de destino/acolhida.

Leituras sugeridas:

CALVET, L.-J. Sociolinguística: uma introdução crítica. Tradução Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2002. (Na ponta da língua, 4).

FISHMAN, Joshua A. Bilingualism with or without diglossia; diglossia with and without bilingualism. Journal of Social Studies, 1967, 23, p. 29-38.

GOROVITZ, Sabine e MARTÍNEZ, Susana. Migrações e Fronteiras no Distrito Federal: a integração linguística como garantia dos direitos humanos. Projeto de extensão universitária UnB

SADIQI, Fatima. Women and linguistic space in Morocco. Women and Language 26.1 (2003): 35.

SAVEDRA, M.; SALGADO, A-C. P. (2009). Sociolingüística no Brasil: uma contribuição dos estudos sobre línguas em/de contato. Rio de Janeiro: 7 Letras.

SILVA, S. de S. (org.). Línguas em Contato: Cenários de Bilinguismo no Brasil. Coleção Linguagem e Sociedade v.2. Campinas/SP: Pontes Editores, 2011.

Atenciosamente,

Prof. Leonardo Cavalcanti

Profa. Delia Dutra

SEMINÁRIO INTERNACIONAL MOBILIDADE HUMANA HOJE: ABORDAGENS DE DIREITOS HUMANOS

13077083_1104460722951181_2851620917361091768_n

 

Estão abertas as inscrições para o SEMINÁRIO INTERNACIONAL MOBILIDADE HUMANA HOJE: ABORDAGENS DE DIREITOS HUMANOS.

Com o objetivo de aprofundar e divulgar estudos e análises sobre mobilidade humana na perspectiva dos direitos humanos, com abordagem interdisciplinar e abrangência internacional, o Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios – CSEM, em parceria com o Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília – IREL/UnB e o Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade federal Rural do Rio de janeiro – PPGCS da UFRRJ, com apoio de diversas instituições, realizará o Seminário Internacional Mobilidade humana hoje: abordagens de direitos humanos.

O Evento, que acontecerá em Brasília, nos dias 7 a 9 de junho de 2016, marca também os 10 anos da Revista Científica REMHU – Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, que iniciou suas publicações em 2006 e desde então mantém a regularidade e o rigor científico ao divulgar reflexões, pesquisas e estudos, a partir de abordagem interdisciplinar, tendo alcançado, em 2014, quatro indexações internacionais e a pontuação A2 no Qualis.

Para mais informações e para fazer sua inscrição, acesse a página do evento: http://csem.org.br/index.php/seminario-internacional-2016-sobre-o-seminario

Chamada: IX Seminário de Mobilidade Humana e I Seminário Internacional Migrações e Diásporas Africanas

Está aberta a chamada de Trabalhos para o “IX Seminário de Mobilidade Humana e I Seminário Internacional Migrações e Diásporas Africanas”, que irão decorrer nos dias 17 e 18 de Setembro de 2015, na Universidade Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), no campus Liberdade, Município de Redenção-CE.

Em anexo, algumas as informações relativas ao evento: o Folder com a Apresentação e Programação, a Ementa e os Grupos de Trabalhos.

Chamada de Trabalhos

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL MOBILIDADE HUMANA

Folder Unilab Final

Convite: Próxima Reunião

cropped-cropped-logolaemi1.png

 

PREZADOS/AS COLEGAS,

CONVIDAMOS TODOS A PARTICIPAR DA PRÓXIMA REUNIÃO DO LAEMI.
SEGUNDA-FEIRA 3 DE AGOSTO ÀS 13:00 – SALA DO TÉRREO CEPPAC
CONTAREMOS COM A PARTICIPAÇÃO DE ANA PAULA RISSON, PESQUISADORA DA MIGRAÇÃO HAITIANA EM SANTA CATARINA.
ANEXAMOS ALGUNS TEXTOS ELABORADOS POR ANA PAULA E OUTROS EM CO-AUTORIA, DE FORMA A PODERMOS NOS ADENTRAR MAIS NOS DEBATES/REFLEXÕES QUE ELA ESTÁ DESENVOLVENDO.
ESPERAMOS CONTAR COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS/AS
ATT,
PROF. LEONARDO CAVALCANTI
PROFA. DELIA DUTRA

Convite para a próxima reunião do LAEMI

cropped-cropped-logolaemi1.png

Prezados colegas do LAEMI,

Convidamos a todos para nossa reunião da próxima terça-feira 9  de junho às 13 hs.
Nesta ocasião iremos receber o Professor Joseph Handerson, que acaba de defender sua tese de doutorado e que estamos compartilhando no link abaixo:
Esperamos a todos na sala de reuniões do térreo do CEPPAC.

 

Simposio: Migraciones, medios de comunicación y procesos de construcción de identidad. Siglos XIX, XX, XXI» Chile 2015

Coordinadores:

Fecha de presentación de abstracs: 31 de mayo de 2015.

300 palabras, 5 palabras claves, Times New Roman, tamaño 12, interlineado 1,5. Indicar título del trabajo, y debajo la titulación académica y nombre del autor, pertenencia institucional y correo electrónico. No se recibirán resúmenes con más de dos autores.

Divulgación de la lista de resúmenes aprobados por los coordinadores: 30 de junio del 2015.

Fecha para envío de textos finales: 30 de agosto de 2015.

Formato de trabajos finales: La extensión máxima del trabajo será 15 hojas máximo. El tipo de letra será Times New Roman, tamaño 12, interlineado 1,5. El texto principal ira precedido por un abstract de 300 palabras; 5 palabras claves. Indicar título del trabajo, y debajo la titulación académica y nombre del autor, pertenencia institucional y correo electrónico.

Es necesario que el texto final mantenga la coherencia y matriz reflexiva de abstract aprobado, de lo contrario a coordinación del Simposio podrá evaluar nuevamente la pertinencia y aceptación de la propuesta.

Los abstracs como los trabajos definitivos deberán ser enviados por e mail a los tres coordinadores del simposio.

COSTOS DE PARTICIPACION:

Ponencistas, profesor@s universitari@s y profesionales US $ 95.

Ponencistas, estudiantes de postgrado US $ 70.

Estudiantes de pre-grado y participantes sin ponencia US $ 40.

Sitio web del evento: http://www.internacionaldelconocimiento.org/index.php/convocatorias-simposios-aprobados/item/300-simposio-n-19-migraciones-medios-de-comunicacion-y-procesos-de-construccion-de-identidad-siglos-xix-xx-xxi

Prefeito de Florianópolis irá formalizar protesto por chegada de haitianos

Prefeito de Florianópolis irá formalizar protesto por chegada de haitianos Alvarélio Kurossu/Agencia RBS

Estrutura para receber 46 imigrantes foi montada no ginásio Capoeirão Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

O prefeito Cesar Souza Junior afirmou, em nota, que irá formalizar, junto ao Ministério da Justiça, um protesto pelo envio de haitianos e senegaleses a Florianópolis pelo governo federal e do estado do Acre. Os motivos seriam a falta de planejamento e de prévia comunicação às autoridades locais. O Ministério Público Federal também será acionado.

— Esse não é um protesto contra as pessoas (imigrantes), mas sim contra a forma como o governo federal e o Estado do Acre estão agindo. O protesto é contra a transferência de responsabilidade ao município e também pela maneira como o governo federal e o governo do Acre expuseram os imigrantes, com absoluta falta de planejamento e sem qualquer comunicação oficial à prefeitura — afirmou Cesar Souza Junior, na nota.

Até as 16h deste domingo a Prefeitura ainda não tinha informação oficial sobre o número preciso de imigrantes que devem chegar à cidade. A Secretaria Municipal de Assistência Social montou uma estrutura para receber 46 imigrantes vindos do Acre no ginásio Capoeirão, na parte continental da cidade.

De acordo com Célio Peixoto, gerente da Eucatur, empresa responsável pelo transporte, em Rio Branco (AC), dois ônibus, com 88 imigrantes haitianos e senegaleses, saíram às 21h de quinta-feira (21), passaram por Porto Velho (RO), Campo Grande (MS), Dourados (MS), e por volta das 11h05min deste domingo (24), estavam em Presidente Prudente (SP), onde os passageiros desceram para almoçar. Às 14h passaram por Londrina (PR). Caso não haja atraso, a previsão de chegada em Curitiba é às 20h, e 1h da madrugada em Florianópolis.

Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2015/05/haitianos-e-senegaleses-em-sc-imigrantes-ocupam-postos-que-sao-dispensados-diz-representante-da-fiesc-4767617.html

Presidente da Comissão de Direitos Humanos visita haitianos em Florianópolis

                      Imigrantes haitianos e senegaleses buscam oportunidade de trabalho no Brasil. FOTOS: Fábio Queiroz/Agência AL

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado Dirceu Dresch (PT), fez uma visita institucional aos imigrantes haitianos e senegaleses que chegaram em Florianópolis no domingo (24), vindos do Acre. Os estrangeiros estão alojados no Ginásio Capoeirão, onde aguardam emissão de passagem e carteira de trabalho para se deslocarem ao interior de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul em busca de oportunidades de trabalho.

“Um grande número de imigrantes tem se dirigido a Santa Catarina. Como Comissão de Direitos Humanos, precisamos acompanhar esse movimento de perto”, disse o deputado Dirceu Dresch. Na opinião dele, os imigrantes escolheram o Brasil como oportunidade e precisam ser acolhidos em condições dignas. “A comissão está à disposição para apoiar no que for necessário e para debater a participação do Estado nesse processo”, disse Dresch. Ele constatou que as estruturas assistenciais do estado e do município estão prestando apoio aos imigrantes, que também são assistidos pela Igreja Católica.

Entre os recém chegados há 27 haitianos e 25 senegaleses, todos homens. “A grande maioria veio para fazer conexão em Florianópolis com destino ao interior de Santa Catarina ou Rio Grande do Sul. Os principais destinos são Porto Alegre, Novo Hamburgo e Caxias do Sul”, explicou a voluntária Tamajara da Silva, da Pastoral do Migrante. Segundo ela, apenas quatro estrangeiros ficarão na Capital catarinense, sendo que três deles já foram recebidos por familiares ou amigos que moram na cidade. A equipe de apoio constatou que havia três pessoas com febre, as quais foram encaminhadas a serviços de saúde para realização de exames, mas nada grave foi diagnosticado.

O haitiano Clarens Chery, presidente de uma associação que dá apoio aos imigrantes (Associação Kay Pa Nou), diz que os haitianos veem o Brasil como uma terra de oportunidades. “O Brasil é um país acolhedor e tem várias possibilidades para um cidadão estrangeiro. Os refugiados sabem que a Região Sul do Brasil é a mais rica e tem mais oportunidade de trabalho e Florianópolis é uma cidade bem conhecida, por isso alguns estão vindo para cá”, analisou.

Com experiência na construção civil, Celuis Fenelus, 40 anos, deixou a esposa e seis filhos no Haiti para tentar uma oportunidade de emprego em Passo Fundo (RS), onde tem contato com amigos. Abatido e triste, contou que tem muitos problemas, não tem nenhum apoio familiar para ajudar a esposa no Haiti e precisa arranjar trabalho. Esta é a segunda vez que Fenelus tenta a sorte no Brasil. Na primeira experiência, entrou ilegal e após 32 dias foi deportado. Assim como os demais imigrantes ainda não encaminhados, ele aguarda a emissão de carteira de trabalho. Um servidor da Delegacia Regional do Trabalho será deslocado para o ginásio Capoeirão na tarde desta terça-feira para fazer o cadastro dos trabalhadores. O documento deve ser emitido nos próximos dias.

Audiência pública
No dia 24 de junho a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa fará uma audiência pública para discutir a situação dos imigrantes haitianos e senegaleses. “Como são pessoas que já estão trabalhando e contribuindo com a economia catarinense, precisam também ter seus direitos garantidos, como moradia, acesso à saúde e à educação. São essas questões que pretendemos debater”, adiantou o presidente da comissão.

Fonte:  http://agenciaal.alesc.sc.gov.br/index.php/noticia_single/presidente-da-comissaeo-de-direitos-humanos-visita-haitianos-em-florianopol